Category Archives: SARANDI

SARANDI PR METADE DAS ESCOLAS MUNICIPAIS NÃO ATINGE META DO IDEB 2015 (1)

SARANDI PR METADE DAS ESCOLAS MUNICIPAIS NÃO ATINGE META DO IDEB 2015

No Comments

SARANDI PR METADE DAS ESCOLAS MUNICIPAIS NÃO ATINGE META DO IDEB 2015

Em Sarandi Pr das 16 Escolas Municipais, 08 atingiram as Metas do IDEB em 2015, conforme último relatório de 2016 do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira – INEP.

As duas Escolas Municipais com os menores IDEBs sarandiense, empatadas com 4,9 são Escola Municipal Prof PAULO FREIRE e YOSHIO HAYASHI, tabela abaixo.

SARANDI PR METADE DAS ESCOLAS MUNICIPAIS NÃO ATINGE META DO IDEB 2015

Já os maiores IDEBs sarandienses estão em primeiro lugar com 6,7 Escola Municipal SAO FRANCISCO DE ASSIS e em segundo com 6,3, a MAURO PADILHA.

Das Escolas Municipais aquelas com a menor “Variação do IDEB nos 10 Anos” em primeira colocada está a Escola Municipal OLINDA DIAS PEREIRA com 0,6, seguida da JOSE POLO com 0,7 e YOSHIO HAYASHI com 0,8.

Assim, entre 2005 a 2015 entre as Escolas Municipais teve seu IDEB uma variação Média de 1,4 pontos ou 0,14 ao ano, todavia entre 2009 e 2011 nosso IDEB sofreu “recuo” de 0,3, saindo de 4,9 para 4,6.

Das Escolas a não atingir nenhuma vez as Metas do IDEB temos a Escola Municipal Olinda Dias Pereira e Professor Paulo Freire e aquelas onde atingiram em todas edições as Metas foram a Escola Sagrada Família e São Francisco de Assis.

Sarandi com um IDEB de 3,9 em 2015 da “8ª série / 9º ano”, também não cumpriu a Meta de 4,2 do MEC, bem como ficamos bem abaixo da Média Nacional de 4,5 e Regional de 4,2.

Portanto melhorar o IDEB municipal, além de vontade política necessita de um esforço integrado nos distintos eixos de gestão em educação, tais como: Padronização de conteúdo, Valorização do professor, Presença garantida do professor e do aluno, Mais horas na escola e atividades no contra turno, Trabalho em equipe, Continuidade na gestão escolar, Boa infraestrutura, biblioteca e internet, Participação dos pais na escola, Avaliação constante para identificar os defasados, Reforço no contra turno para os defasados, além de outros.

Editorial por

Dr Allan Marcio

SARANDI TEM O PIOR O IDEB FICANDO ABAIXO DA META EM 2015

No Comments

SARANDI TEM O PIOR O IDEB FICANDO ABAIXO DA META EM 2015

O IDEB é um indicador geral da educação nas redes privada e pública, uma espécie de nota.

Para chegar ao índice, o MEC calcula a relação entre rendimento escolar (taxas de aprovação, reprovação e abandono) e desempenho no SAEB/PROVA BRASIL aplicada para crianças do 5º e 9º ano do fundamental e do 3º ano do ensino médio.

No Ensino Fundamental 2 compreendendo do “8ª série / 9º ano” no Brasil mais uma vez não cumpriu a meta nacional de 4,7, ficando com IDEB de 4,5.

Sarandi com um IDEB de 3,9 em 2015  8ª série / 9º ano, também não cumpriu a Meta de 4,2 do MEC, bem como ficamos bem abaixo da Média Nacional de 4,5 e Regional de 4,2.

SARANDI TEM O PIOR O IDEB FICANDO ABAIXO DA META EM 2015

Nos últimos 10 anos o IDEB DO ENSINO MÉDIO 8ª série / 9º ano evoluiu apenas 0,7 pontos, evolução esse bem semelhante aos municípios de Marialva, 0,8, Mandaguaçu, 0,5, Mandaguari, 0,7, Paiçandu, 0,3 e Maringá, 0,4.

Todavia, no contexto deste breve levantamento do IDEB comparativo, Sarandi, infelizmente, destaca-se como o pior IDEB regional, 3,9 empatado com Mandaguaçu e com maior IDEB fica Mandaguari, 4,5 seguido de Maringá, 4,4.

Portanto, a realidade em Educação do “Ensino Médio” sarandiense não basta apenas mudança do seu currículo ou flexibilização e enxugamento curricular.

Enfim, torna-se uma questão estrutural de melhorar salários segurando o Professor na Escola visando melhorar a qualidade de trabalho e ensino.

Editorial Por

Dr Allan Marcio

SARANDI PR ORÇAMENTO PAGO DA SAÚDE RECUA -19,94% EM 2016

No Comments

SARANDI PR ORÇAMENTO PAGO DA SAÚDE RECUA -19,94% EM 2016

Saúde Pública é um serviço público de extrema necessidade e com baixa capacidade de financiamento.

Atualmente, Sarandi a cada 10 habitantes, 08 dependem exclusivamente do SUS municipal.

Neste dependente cenário não só da “Saúde”, mas do social, também, onde a cada 10 famílias, 04 dependem de Programas Sociais, conforme dados do Cadastro Único do Bolsa Família.

Num quadro comparativo breve do estado de saúde orçamentário da “Secretaria de Saúde” sarandiense, nota-se os reflexos diretos da condição econômica ou “ajustes fiscais” nacional.

Avaliamos os 08 meses de 2016 comparando com os mesmos de 2015 quanto ao “Orçamento Pago até 31/08”.

Em 2015 haviam gasto neste período cerca de R$ 22,57 Milhões e logo em 2016 apenas R$ 18,07 sofrendo um encolhimento de -19,94% ou R$ 4,21 Milhões a menos.

A “Folha de Pagamento” sofre no mesmo intervalo de tempo uma redução maior, saindo em 2015 de R$ 14,80 Milhões para R$ 9,30 Milhões em 2016 ou decréscimo de -37,16% entre 01/01/2015 a 31/08/2015 e nos mesmo período de 2016, conforme Tabela abaixo.

SARANDI PR ORÇAMENTO PAGO DA SAÚDE RECUA -19,94% EM 2016

Neste cenário, mas uma pasta estratégica sofre recuo considerável em suas fontes de financiamento.

Portanto, não só exigirá uma melhora capacidade de gestão, mas um comprometimento e responsabilização maior na eleição de futuras prioridades.

Enfim, não só foi só o cobertor financeiro ficou mais curto, porém as demandas sociais se ampliaram no atual quadro recessivo e institucional instalado, também.

Editorial Por

Dr Allan Marcio

SARANDI PR OBRAS PÚBLICAS 52% DELAS ATRASADAS ENTRE 2014-2016 2

SARANDI PR OBRAS PÚBLICAS 52% DELAS ATRASADAS ENTRE 2014-2016

No Comments

SARANDI PR OBRAS PÚBLICAS 52% DELAS ATRASADAS ENTRE 2014-2016

Obras Públicas precisa ser conduzida por “vontade técnica” e não apenas “política”, ou se sabe priorizar ou se paga caro deixando de atender sua finalidade pública.

Segundo este breve Levantamento das Obras Públicas entre 2014 a 2016 obtida no site do Portal da Transparência Pública de Sarandi foram mais de 42 Obras Iniciadas naquele período, conforme Tabela abaixo.

Destas iniciadas menos da metade ou 20 Obras foram “Concluídas”, tendo 06 “Paralisadas” e outras 15 “Em Andamentos” ambas quando todas terminadas consumirão cerca de R$ 55,39 Milhões.

2015 foi ano com o menor número de “Obras Iniciadas”, apenas sete (07) com quatro (04) “Concluídas”, logo em 2016, elevou-se para nove (09), porém neste mesmo ano nenhuma obra foi “concluída”.

2014 foi ano com o maior “boom” de “Obras Iniciadas”, 26, e caindo enormemente para sete (07) em 2015.

SARANDI PR OBRAS PÚBLICAS 52% DELAS ATRASADAS ENTRE 2014-2016

Em 2014 a obra mais cara foi a “Pavimentação Asfáltica do Parque Industrial 4º e 5º Parte” consumindo R$ 6,41 Milhões junto com a construção de cinco (05) Unidades Básicas de Saúde por R$ 17,7 Milhões, onde atinge a incrível soma de R$ 24,11 Milhões ou 60,87% dos R$ 39,61 Milhões gastos em obras só em 2014.

Já em 2015, foi o pior ano em volume de obras, onde sua maior Obra ser a “Construção da Arquibancada do Estádio Municipal” com ordem de serviço no valor de R$ 1,14 Milhões ou 32,57% dos R$ 3,5 Milhões empenhados no ano.

Em 2016 volta a se elevar o valor dos “Montantes das obras” para R$ 12,28 Milhões, porém seu volume ou quantidade permanece em apenas nove (09) das quais todas estão classificadas como “Em Andamento”.

As mais caras Obras em 2016 são a “Pavimentação Asfáltica no Regime Comunitário do Jardim Universal” com R$ 3,82 Milhões, seguido do “Pavimentação do Bom Pastor” com R$ 2,69 Milhões, ambos consumindo R$ 6,51 Milhões ou 53,01% dos R$ 12,28 em obras deste ano.

Portanto, neste breve estudo notamos a extrema responsabilidade em saber planejar para saber “priorizar” com responsabilidade evitando, assim, desperdício do dinheiro público.

Editorial por

Dr Allan Marcio

SARANDI ORÇAMENTO 2016

SARANDI ORÇAMENTO CRESCE E EXECUÇÃO RECUA EM 2016

No Comments

SARANDI ORÇAMENTO CRESCE E EXECUÇÃO RECUA EM 2016

Ano de Eleições é um tempo onde as esperanças se renovam e povoam as ruas com promessas e resposta à todas mazelas sociais por nossos inúmeros candidatos(as).

Na sabedoria Persa dizia: “…Não ergas alto um edifício sem fortes alicerces, se o fizeres viverás com medo…”.

Assim o é na Administração Pública, também.

A prudência é sempre irmã da sabedoria quando avaliamos Evolutivo Orçamentário Sarandi 2013 – 2016 quanto á Arrecadação, Orçado e Empenhado.

Com base no Portal da Transparência de Sarandi Pr notamos em nenhuma das três variáveis observadas, “Variação do Arrecadado sobre o Empenhado”, “Percentual Arrecadado sobre o Previsto” e do “Percentual Empenhado sobre o Orçado” nenhum deles chegaram a atingir 100% de eficiência.

O melhor ano avaliado nestes três itens foi 2015, enquanto o pior está sendo 2016, conforme Tabela abaixo.

SARANDI ORÇAMENTO 2016

Na “Variação do Arrecadado sobre o Empenhado” neste evolutivo 2013-2016 teve dois picos negativos, 2014, com -4,81% e agora 2016, com -4,03% mostrando quedas de “arrecadação tributária” em evidencia.

Já no “Percentual Empenhado sobre o Orçado” sofre outra “frenagem” na execução dos gastos, onde até Agosto/2016 “Empenhamos” apenas 58,32% o menor volume dos últimos quatro anos.

Assim como “Percentual Arrecadado sobre o Previsto” demonstra em 2016 “desaceleração” na capacidade arrecadatória do município atingindo o menor patamar, 61,17%.

Portanto, a cada dia os efeitos da “Crise Fiscal” nacional atinge de frente a realidade municipal e a capacidade de pagamento dos cofres públicos exigindo um visão mais “administrativa” do que “política” daqui para frente.

Editorial Por

Dr Allan Marcio

SARANDI E PAIÇANDU SÃO MAIS DEPENDENTES DE TRANSPORTE PÚBLICO

No Comments

SARANDI E PAIÇANDU SÃO MAIS DEPENDENTES DE TRANSPORTE PÚBLICO NA REGIÃO METROPOLITANA DE MARINGÁ.

Um transporte público de qualidade integrando nossa Região Metropolitana esbarra na vontade política e privada.

Sarandi detêm uma população “pendular” de mais de 25 mil habitantes diários ou ¼ dela se deslocando diariamente e voltando de Maringá, daí a urgente necessidade um olhar mais atento na logística nos Transportes Coletivos regional e municipal.

Visando tirar um “perfil” da quantidade e qualidade deste Transporte Público, pesquisamos uma mostra do número de ônibus e micro ônibus, bem como a relação entre população e tamanho da frota de ônibus entre Sarandi, Marialva, Paiçandu, Mandaguari e Mandaguaçu comparando entre si e a média nacional com dados obtidos no site do Departamento Nacional de Trânsito – DENATRAN.

Proporcionalmente Paiçandu, 231,86 e Sarandi, 258,02 são as cidades com os menores “Números de Ônibus por 100 mil pessoas” neste breve levantamento ficando quase duas vezes menor a média nacional de 425,69, conforme Tabela abaixo.

SARANDI E PAIÇANDU SÃO MAIS DEPENDENTES DE TRANSPORTE PÚBLICO

 

Na contramão, Paiçandu, 431,29, e Sarandi, 387,57 são também as cidades como os maiores dependências ou “Número de Habitantes por Ônibus” e a menor é Marialva, 268,21.

Uma observação interessante é perceber entre 2013 a 2014 elevar ainda mais a “dependência por ônibus” em Sarandi em 7,8% em nas demais cidades observadas crescer apenas em média 2,8%.

Portanto, planejar, propor e executar uma política séria na questão dos transportes coletivos integrando bairros sarandienses priorizando o sentido bairro-centro e não bairros-Maringá será o grande desafio da futura administração nas novas concessões no novo conceito de mobilidade urbana.

Editorial por

Dr Allan Marcio